Setembro 18, 2014

Crónicas da Inês #2

"Ali mesmo ao virar da esquina"

Ouço o som das minhas lágrimas a caírem sobre o mármore frio do móvel da casa de banho enquanto vislumbro o que resta de mim no reflexo do espelho. Por entre a luz quente do candeeiro vejo os fios finos de cabelo que sobraram de mim e como a minha pele se tornou translúcida. Por cima destas olheiras negras moram agora uns olhos verdes vazios e molhados mas cheios de esperança. E força… força que vive num vai e vem entre os dias em que me sinto bem e os dias da quimioterapia. Esses dias em que o meu pai me carrega até casa, derreada que me sinto de travar esta guerra. Esses dias em que as náuseas invadem o meu espaço, onde me arrasto entre o sofá e a cama e onde choro, extenuada desta vida para a qual fui empurrada. Mas que é vida ainda, e por isso, um misto de gratidão e raiva invadem o meu coração.

Carrego esta dor solitária do peso que coloquei nos meus pais, nos meus irmãos, nos meus amigos. Esta incerteza de não saber se amanhã estarei cá e da consternação que essa dubiedade deixa naqueles que amo. Percebi que o seu estado de espírito ficou dependente da minha disposição e por isso, sempre que posso, finjo. Finjo não sentir a angústia dos meus planos de futuro que me foram arrancados, adiados para um dia que não sei se chegará. Encapoto e mascaro este sofrimento físico e emocional que mora em mim 24 horas por dia. Escondo a revolta, a raiva, o desgosto do dia em que o meu namorado me deixou porque “isto” era demais para ele.

Enquanto os raios de sol quente entram pela janela da sala e me queimam a pele tento esquecer e abstrair-me deste nó na garganta que assentou em mim e nunca mais desarredou. E sonho, sonho com o dia em que tudo voltará à “normalidade”. O dia em que ele vai dizer “os seus exames estão regulares. Esta batalha está vencida”. Apesar de às vezes duvidar, sei que esse dia vai chegar. Sei que vamos todos voltar a rir sempre, que este aperto no peito vai desaparecer, que vou voltar a abraçar a minha gata, sentir o seu cheiro e o calor daquela barriga macia, que vou voltar ao trabalho, a sair à noite, a correr na praia, a reencontrar o amor, a aumentar a minha família. Há dias que sei que esse dia está mesmo ali ao virar da esquina… é só resistir um pouco mais até lá chegar.

Setembro 17, 2014

Workshops de Consultoria de Imagem Empresarial- Imagens do Regresso

Todos os Workshops de Imagem Empresarial e de Maquilhagem são especiais, mas o deste sábado passado foi mais ainda. Não só pelas participantes, mas também porque marcou o regresso de uma nova temporada que promete surpresas. Deixo algumas imagens:
Relembro o programa:

- O que é a Imagem e a sua importância nos dias de hoje;
- Regras gerais de vestuário;
- O Guarda- Roupa básico;
- O que são e como saber fazer compras inteligentes;
- Tendências, como aplicá-las;
- A importância da maquilhagem na imagem como um todo;
- O mercado da cosmética: Marcas e produtos;
- Cuidados diários para o rosto;
- Aula completa de auto- maquilhagem dia/noite;
- Considerações finais;
- Exercício Práctico;
- Esclarecimento de dúvidas e/ou questões;
- Lanche 

O próximo Workshop é dia 27 deste mês.

Setembro 16, 2014

Na chuva com a TOUS

O chapéu- de- chuva pode muito bem ser um acessório de moda. Cada vez mais. Como já é um objecto que não usamos com um sorriso nos lábios, convém ser algo bonito, elegante e até mesmo alegre, (porque não?), que de certa forma nos faça esquecer a sua finalidade. Uma vez que esta semana parece que já estamos no Inverno, deixo aqui as novas sugestões da Tous:

Setembro 15, 2014

Princípio da Semana #7

en·con·trar(mo-nos)Ir de encontro a; Achar(mo-nos); Descobrir(mo-nos). Achar(-se); Ver(-se); Passar por.

"Not until we are lost do we begin to understand ourselves"- H. Thoreau

Há quem a comece mais cedo ou mais tarde, mas esta é sem sombra de dúvida a viagem das nossas vidas. Mais curta ou mais longa, consciente ou não, todos(as) a fazemos. Normalmente começamos pelo campo profissional, pois somos obrigados a fazer escolhas sobre o que queremos ser quando formos grandes e consequentemente escolhemos o que queremos estudar, fazer, "ser". Mas ninguém nos obriga a escolher o que queremos para nós, nos nossos relacionamentos. São escolhas que fazemos naturalmente, com base no que somos, nos nossos valores, no que sentimos, no que no fundo é importante para nós. A questão é que nesta matéria, não há o preto e o branco, há uma imensidão de cores, de sentimentos que temos que perceber em nós que nem sempre são assim tão claros e definidos como o que queremos profissionalmente. Encontrarmo-nos e daí percebermos o que realmente queremos para nós, em nós, no que nos rodeia, na nossa vida foi e falando a nível pessoal das viagens mais difíceis e longas que alguma vez já fiz. 

A viagem, esta viagem, a nossa viagem normalmente começa quando nos sentimos desconectados de nós, do nosso eu e isso faz-nos sentir perdidos. Há qualquer coisa (ou várias) que não estão bem e a partir do momento que nos sentimos assim esse é o início da viagem. A questão é como fazê-la. Que caminho seguir. Ajuda e muito se imaginarmos, se visualizarmos a nossa vida como a queremos, dado que temos o poder de evocarmos relacionamentos que estejam em harmonia com a liberdade, crescimento e sobretudo alegria que procuramos. Apesar de ser uma viagem que temos forçosamente de fazer sozinhos não quer dizer que não necessitemos de ajuda, precisamos claro, devemos aceitar o Amor de quem nos rodeia, de quem faz parte de nós, da nossa vida e que nos proporciona isso mesmo. De pessoas que nos digam: Aceita a minha ajuda e eu vou confiar que vais fazer o que é mais acertado com ela.

Encontrarmo-nos requer paciência, estar quietos, silenciosos, para que o nosso verdadeiro eu possa respirar. Precisamos de nos dar espaço para ver e ouvir o que temos para nos dizer. Na maior parte das vezes, estamos e ficamos no mesmo sítio fisicamente, mas ajuda e muito se viajamos interiormente para outro lugar, uma montanha parece-me adequado, dado nos dar outra perspectiva do que está ao nosso redor. Para nos encontrarmos temos primeiro que nos perder, este perder é essencial para começar a viagem. 
Sem medo, sem hesitação, sem dúvida.

Para TI que a estás a fazer...


Imagem © Direitos reservados

Setembro 13, 2014

VFNO 2014 (em Imagens)


Mais uma edição de muito sucesso da VFNO. Ao contrário do que parecia este ano não foi excepção e estava uma noite fantástica a nível de temperatura. Um Chiado transitável (pela primeira vez), muita animação, muitas novidades, gente gira e bem-disposta. Que venha a próxima!

Setembro 11, 2014

Hoje é noite de VFNO

Pela primeira vez já em vários anos de FNO S. Pedro não está a colaborar. A noite "mais esperada do ano" parece-me que vai estar algo chuvosa. Por outro lado não está frio nenhum, e chuva e calor é um mix que se pode revelar algo problemático. Se já é naturalmente difícil para a maior parte de nós escolher o que vai vestir, nestas condições ainda o é mais. Deixo a minha sugestão: 
Com chuva ou sem ela, o importante hoje é mesmo não ficar em casa :)!

Imagem © Direitos reservados

Setembro 10, 2014

Está aberta a temporada: Os Workshops regressaram de férias!


Esta é a imagem de muitas de nós de manhã (ou à noite, na hora de escolher o que vamos vestir no dia a seguir). Olhamos e vemos um sem número de peças que não sabemos como usar, nem tão pouco coordenar entre si. Acredito que muitas vezes chegue a ser um momento quase dramático!

Para que momentos como este não façam parte do vosso dia-a-dia, convido-vos a participarem no próximo Workshop de Imagem Empresarial e de Maquilhagem.

É já no próximo dia 13 (Sábado), às 14:00. Mais info.: babiaunica@gmail.com.

Imagem © Direitos reservados
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Babi a Única © 2009-2014. All Rights Reserved | Powered by Blogger

Blog Design por Nitch Designs