junho 28, 2016

DDROB- DOUBLE DRESS ROB

Double Dress Rob. Uma ideia, um conceito, uma marca |portuguesa| que me apaixonou de imediato. Lançada este mês na Loja das Meias das Amoreiras traduz, na minha opinião, um novo e muito pouco explorado conceito que é o da polivalência.

junho 27, 2016

PRINCÍPIO DA SEMANA #100

cem- (latim centum)- Dez vezes dez; Um cento; Muitos; Usa-se enfanticamente como número indeterminado; Número cem.

Cem semanas. Cem princípios. Cem palavras. 
Todos os princípios são especiais mas este é único, por vários motivos e razões diferentes. Há quase dois anos atrás nasceu algo que, à parte de tudo aquilo que escrevo, me é por demais especial. À semelhança de muitas das ideias que tenho quando decidi criar esta rubrica, a única praticamente que é religiosamente escrita à 2F, estava muito longe de imaginar naquilo que se viria a tornar. Algo que e acima de tudo me apaixona escrever. Um desafio constante que me lanço semana após semana. Uma "obrigação" semanal quase semelhante a ir ao psicólogo. Isto porque os princípios têm a regra |interna|, e para mim não poderia ser de outra forma, de serem muito pessoais. 

Não tenho problemas de exposição. Exposição de sentimentos. Nunca tive. Afirmo-me sempre como alguém apaixonado e é, sem dúvida, uma das minhas principais características e que se percebe na forma, às vezes, |sei| até demasiado intensa como me exprimo e como escrevo. E como é natural em cem semanas muitas coisas, muitos sentimentos, muitas emoções, acontecimentos, muitas alegrias e tristezas se passaram em mim. Pelo caminho já tive as mais diversas abordagens e questões sobre onde e no que me inspiro para escrever, o porquê da escolha das palavras, com quanto tempo de antecedência as decido, quanto tempo os demoro a escrever e claro elogios. Que sabem sempre bem. De todas as vezes que oiço- "Adoro o que escreves", "sou um fã dos teus Princípios", "Os teus princípios inspiram-me", etc., vou ao céu e volto. Os princípios têm apenas uma única regra, para além do dia. Falam sempre e apenas de mim. Do que se passa em mim ou da forma como eu vejo determinada palavra, ou sentimento e têm sempre algum objectivo, dirigido ou não. Mas está sempre "lá".

Este número cem, para além do número ser já em si especial e algo imponente, é também um marco na medida em que desde a semana passada que me sinto a comemorar todos os dias. E se o princípio da semana passada foi dor, o desta semana se não fosse a "imposição" do número 100 seria a.le.gri.a, a.lí.vi.o ou até res.pi.rar. Hoje e após a notícia que recebi há quase duas semanas atrás e que teve o poder de fazer pause e de me colocar out de tudo, inclusive do blog, regresso à vida de todos os dias. O |ou neste caso a| minha "intocável" está a recuperar e muito bem de tudo aquilo porque passou, e em tempo record, e por isso voltei a respirar com a frase "um dia de cada vez" a imperar no meu mindset.

Os princípios da semana são também um exercício interior que faço semanalmente na medida em que mesmo não estando sempre para lá de bem-disposta às segundas de manhã quando os escrevo e mesmo escolhendo uma palavra à qual poderia ser dado um significado, ou traduzir sentimentos menos positivos, tento sempre abordar o tema de forma construtiva. Se existe algo que aprendi nestas últimas cem semanas é que tudo, mas tudo, por pior que nos pareça, na altura, tem sempre uma grande lição por detrás e cada uma delas é sempre construtiva e por mais que doa, necessária. E isso tem reflexos em mim e por isso sei que consigo expressar isso nas minhas palavras. Sei que sim. Por isso não planeio nunca qual será o próximo. Não posso. Pois na verdade não sei |e nunca sabemos| o que vai acontecer nos próximos sete dias. 

"As palavras têm a leveza do vento e a força da tempestade". Victor Hugo

junho 21, 2016

E SE CRIÁSSEMOS AS NOSSAS PRÓPRIAS JÓIAS?

Com o objectivo de ensinar aquilo que são os princípios básicos da joalharia, o atelier Joana Simões propõe a realização de Workshops de iniciação ao tema, através da utilização de ferramentas e técnicas sempre presentes nesta arte, sob duas temáticas diferentes e que são as Técnicas Criativas em Fio de Prata e em Chapa de Prata-Anel.
O Workshop de Técnicas Criativas em Fio de Prata, a ser realizado nos próximos dias sete e nove de Julho, propõe a realização de três pares de brincos de gancho, uma pregadeira e um colar em prata. Todos com aplicação de diversos materiais, como por exemplo pérolas, pedras semi- preciosas, ou vidros de Murano. Já o Workshop de Técnicas Criativas em Chapa de Prata-Anel, com datas previstas para 14 e 16 de Julho, tem como objectivo a realização de um anel em prata, com aplicação de pedra ou pérola, consoante o projecto de cada participante. 

A duração de cada Workshop é de 4 e 5h (respectivamente), sendo que cada um deles é feito em grupos com dois a cinco participantes. As formações são realizadas no atelier Joana Simões- R. Mário Dionísio, Loja 2B- 1600-248 Lisboa, e os valores são 75€ (Técnicas Criativas em Fio de Prata) e 95€ (Técnicas Criativas em chapa de prata-anel). O valor inclui todas as ferramentas e materiais necessários à execução dos projectos, sendo as peças executadas total propriedade dos participantes que têm, assim, a oportunidade de realizar uma jóia única e personalizada. 

Inscrições e/ou mais informações através de e-mail (js@joanasimoes.com ou via facebook).

junho 20, 2016

PRINCÍPIO DA SEMANA #99

dor|ô| (latim dolor, -oris)- Sensação mais ou menos aguda mas que incomoda; Sensação emocional ou psicológica que causa sofrimento.

Apesar de nunca planear muito a palavra de cada princípio, e de ela (me) surgir como resultado de várias coisas que vou vivendo e pensado, semana após semana, jamais me passou pela cabeça que dor seria uma delas. Mas e esta semana, infelizmente, tinha que ser. Palavra pequena mas que tanto quer dizer e que tanto nos transforma.

junho 15, 2016

GIVEAWAY GEL ANTI-CELULÍTICO TERMOACTIVO AVON- |O RESULTADO|

As vencedoras, que vão poder experimentar o novo Gel Termoactivo da Avon são:

junho 14, 2016

PRINCÍPIO DA SEMANA #98

ma·qui·nis·ta-(máquina + -ista); Pessoa que faz ou dirige máquinas; Pessoa que conduz um comboio.

Gosto de alegorias. Muito. Diria que, a nível de escrita, são para mim já um vício. Escrevo muito com base nelas e por isso nestes últimos dias dei por mim a pensar como uma viagem de comboio, ou até uma simples viagem de metro em tanto se assemelham a nossa vida. Fazemos viagens diárias, baseadas em decisões prévias. Decidimos linhas, caminhos em função do "para onde queremos ir". Mas não nos apercebemos muitas vezes, pois achamos normal, que assim como nas nossas deslocações diárias, no nosso dia-a-dia, somos muitas vezes conduzidos por maquinistas, que não somos nós. E isso, o deixarmo-nos ser conduzidos, na maior parte das vezes, ou nunca mesmo, não nos traz bons resultados.

junho 09, 2016

ESCOLHAS DO MÊS

Untitled #26
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Babi a Única © 2009-2014. All Rights Reserved | Powered by Blogger

Blog Design por The Zero Element